Linda, taí uma boa governadora

Publicado em 30/07/2021 as 09:09

Os feios que me perdoem, mas lindeza é fundamental.

A vereadora Linda Brasil, do PSOL, foi uma grata surpresa nas eleições de 2020, em Aracaju, eleita com mais de 5 mil votos e agora, na Câmara Municipal, vem fazendo um bom mandato.

Linda, em sua atuação parlamentar, transcende o básico campo de defesa dos direitos das mulheres trans e ja se notabiliza pela representação de variados assuntos sociais como saúde, educação, emprego, transporte urbano e benfeitorias para diversos bairros de Aracaju.

Seu nome, hoje, é uma referência da classe em todo o país.

Não tem sido por acaso que seus admiradores e alguns políticos da moda estão cogitando, sugerindo e estimulando a vereadora socialista a se candidatar ao cargo de governador do estado nas próximas eleições.

Seria um diferencial e tanto.

Se o governador Eduardo Leite, do PSDB do Rio Grande do Sul, pode ser candidato a presidente da república por que a vereadora Linda Brasil também não haveria de poder se candidatar a governadora ?

Eu acho ótimo, esse projeto.

Entre esses pré-candidatos aí que se escondem em seus próprios armários políticos - ser ou não ser candidato, eis a questão - quase todos eles machões, feiosos, carecas e barrigudos - prefiro mil vezes uma candidatura Linda, toda alegre, feliz, espontânea, com novas e boas ideias, bem definida ideologicamente e boa de serviço público como a brava vereadora do PSOL.

Linda Brasil poderá montar com Márcio Souza, vice, e Henry Clay, Senador, uma chapa puro sangue do PSOL. Eles foram candidatos a governador e senador e sabem das coisas, têm experiência no assunto.

Certamente vocês não levarão a sério essas especulações e conjecturas políticas.

Mas que uma candidatura alternativa assim seria uma grande novidade nesse momento chato em que se quer tudo e não se resolve nada, ah, isso seria.

A ideia taí. Governadora é Linda Brasil. Os outros são os outros.

E como diz um famoso filósofo de Itabaiana, Luizão Dona Trumpi, “quem não aguentar que se deite”…

*Pedro Valadares, jornalista