Palestra discute literatura de cordel em sala de aula

Publicado em 09/05/2019 as 00:00

Na expectativa que o projeto de lei nº 18/2019 de autoria da parlamentar Maria Mendonça (PSDB) seja aprovado pelos deputados estaduais da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), a professora e presidente da Academia Sergipana de Cordel Izabel Nascimento proferiu palestra na manhã desta quinta-feira, 09, no plenário da casa legislativa, sobre a importância das escolas públicas e privadas colocarem na grade curricular o programa de fomento à Literatura de Cordel, objetivando preservar a cultura do cordel.

De acordo com a cordelista, a escola tem um papel fundamental no que diz respeito à promoção da cultura. “A proposta é falar sobre a importância de ter a literatura de cordel na prática pedagógica e na formação de pessoas no ambiente escolar. Com isso, os professores passam para os alunos a valorização da nossa poesia, dos nossos poetas e da literatura de cordel como patrimônio da literatura brasileira”, destacou.

Dia Municipal da Literatura de Cordel

O dia Municipal da Literatura de Cordel é comemorado no dia 19 de julho. A data é uma homenagem a um dos grandes ícones do Cordel em Sergipe e no Brasil, João Firmino Cabral, que nesta data, o sergipano tomou posse na Academia Brasileira de Literatura de Cordel.

O itabaianense João Firmino, que morreu em fevereiro de 2013, era bastante conhecido dos sergipanos e dos turistas que visitavam o Mercado Antônio Franco, onde mantinha uma banca de venda de inúmeros folhetos de Cordel e recebia, com muita simpatia, poetas, estudantes, professores, pesquisadores e turistas de todas as partes.

Entre as suas obras mais famosas estão “Uma profecia do Padre Cícero” (sua primeira produção), “Antônio Conselheiro, o guerreiro de Canudos”, “Luiz Gonzaga, o Rei do Baião”, “Nascimento, vida e morte do cangaceiro Zé Baiano” e, a principal delas, “Lampião: herói ou bandido”, de 2010, o seu folheto de Cordel mais vendido.